Já não ia ao horto Flor do Norte há muito tempo, porque deixei de investir no jardim e tenho trabalhado com a “prata da casa” — os cães mais não permitem. Gostei de lá ir e vou outra vez nos próximos dias…
Comprei o seguinte:

  • 2 Maracujás, Passiflora edulis
  • 3 Diosma hirsuta ‘Sunset gold’ — estes são para substituir outros tantos Alecrim-do-Norte, Diosma ericoidesque estão arruinados no Jardim Branco. E se calhar vou substituir os outros cinco, esta espécie é parecida mas tem uma folhagem mais clara que me parece mais agradável para o local.
  • 1 Euphorbia characias
  • 3 Pennisetum rubrum
  • 2 Erva-príncipe, Cymbopogon citratus

Hemerocallis ‘Autumn red’,
Hemerocallis ‘Autumn red’.

Este ano não consigo andar à frente dos acontecimentos no jardim… Para não variar muito. Acabei de podar os limoeiros que estão em bardo no fundo do quintal e já tenho as sebes de Teixo, Taxus baccata, os Alecrim-do-Norte, Diosma ericoides, a Pyracantha ‘Orange glow’…
Acho que vou remover a Pyracantha, porque tem picos que nunca mais acabam e está num local muito inacessível para podar. A ter esta planta, aconselho a que seja num ponto onde possa ser podada facilmente, mas não em local de passagem.
Entretanto, começaram a florir os Hemerocallis ‘Autumn red’ que como é sabido têm flores que só duram um dia, mas além de super bonitas, são imensas durante longo tempo.

Compostor 1

Finalmente triturei tudo o que tinha amontoado e tenho mesmo de me lembrar deste martírio na próxima vez que resolver cortar e não triturar imediatamente.
Desde os dias de chuva até às lâminas do triturador que estavam uma verdadeira miséria, fui atrasando a tarefa até passarem meses e é mesmo péssimo triturar material seco. Para mim e para a máquina. Já aqui mencionei que as lâminas originais Viking duraram mais de uma década, as novas da Stihl aparentemente, duram uma utilização se for suficientemente intensa porque estão novamente arruinadas. O aço alemão anda pela hora da morte.
Depois de triturar tudo o que estava amontoado, podei os limoeiros e triturei tudo imediatamente. Comecei uma nova pilha de composto no Compostor 1, sem o espaço estar completamente livre, porque não tive outra hipótese. Depois da fotografia ainda levei mais dois ou três balseiros.

Fiteira

Ontem vieram remover a fiteira que tinha no fundo do quintal, porque nas traseiras há gente que não tem que fazer e anda muito incomodada. O resto que vegeta em cima daquelas garagens não incomoda, até um Chuchu para lá cresce selvaticamente. Ainda demorei uns dois ou três anos desde que começaram a querer chatear, resolvi agora, a Fiteira já não me servia porque as fitas estavam muito altas, mas quando ameaçaram com “as autoridades” estive quase para a deixar ficar. Quanto menos conversa se der a vizinhos deste jaez, melhor.

Quintal

O quintal está assim… Em primeiro plano, Camomila-dos-alemães, Matricaria recutita, que nasce espontaneamente aos montes (deixo sempre formar sementes).
Ao fundo, as flores amarelas são Bidens ferulifolia que basicamente adoptaram aquele lugar e recusam a mover-se dali. Plantei-as inicialmente no Jardim do Lago e era lá que as queria, não há hipótese — mas o extraordinário é que foram para este lugar por vontade própria. Tenho esperança que se dêem no terraço, aqui era suposto ter vegetais e legumes.