Fiteira

Ontem vieram remover a fiteira que tinha no fundo do quintal, porque nas traseiras há gente que não tem que fazer e anda muito incomodada. O resto que vegeta em cima daquelas garagens não incomoda, até um Chuchu para lá cresce selvaticamente. Ainda demorei uns dois ou três anos desde que começaram a querer chatear, resolvi agora, a Fiteira já não me servia porque as fitas estavam muito altas, mas quando ameaçaram com “as autoridades” estive quase para a deixar ficar. Quanto menos conversa se der a vizinhos deste jaez, melhor.

Quintal

O quintal está assim… Em primeiro plano, Camomila-dos-alemães, Matricaria recutita, que nasce espontaneamente aos montes (deixo sempre formar sementes).
Ao fundo, as flores amarelas são Bidens ferulifolia que basicamente adoptaram aquele lugar e recusam a mover-se dali. Plantei-as inicialmente no Jardim do Lago e era lá que as queria, não há hipótese — mas o extraordinário é que foram para este lugar por vontade própria. Tenho esperança que se dêem no terraço, aqui era suposto ter vegetais e legumes.

Roseira 'Graham Thomas'

E por falar em rosas que crescem, este ano as roseiras estão super magníficas. As duas da frente, ‘Claire Austin’ e ‘Iceberg’ nunca tiveram tantas flores. A ‘Graham Thomas’, é sempre uma preferida. No vaso, ‘A Shropshire Lad’, esteve linda. Por fim, a ‘Lichfield angel’ também nunca esteve tão bem, que linda — ajudou eu ter removida duas Nandinas que já a atrapalhavam bastante. Todas estas roseiras vieram de Inglaterra, de David Austin e têm todas o AGM — Award of Garden Merit da Royal Botanic Society.
Numa outra nota, a Grande-cerejeira-branca, Prunus serrulata ‘Tai-haku’, também nunca esteve tão bem porque como costuma florir em Abril e “em Abril, águas mil”, tem sido sempre prejudicada pela chuva. Este ano foi o primeiro em que não choveu durante toda a floração.

Eschscholzia californica
Papoila-da-Califórnia, Eschscholzia californica.

Por falar em plantas espontâneas… Nasceu no quintal esta Papoila-da-Califórnia, uma espécie que nunca tive mas, depois de alguma investigação, concluí que a minha prima na casa ao lado teve há uns anos e deve ter sido daí que veio. Ao investigar o que era, li algures que tem o prémio “Planta Venenosa do Ano 2016”. Ora aqui está um prémio que não conhecia, há prémios para tudo.