Geranium dissectum
Geranium dissectum, com uma raíz monstruosa que como se vê está completamente limpa porque não há terra nem nada que não seja gravilha.

Os dias têm sido bastante produtivos. No canteiro do Cercidiphylum japonicum plantei um Helenium autumnale, duas Echinacea purpurea ‘Green twister’ e duas Echinacea purpurea ‘Mellow yellow’. Ao preparar a terra, surpreendeu-me o dura e compactada que estava, misturei terriço de folhas, mas mesmo assim.
Em frente da entrada lateral plantei uma Rudbeckia nitida ‘Herbstsonne’ (AGM), a tradução é Sol de Outono e realmente já tive outra e começava a florir em Setembro, mas também tenho registo em Julho (bastante diferente!).
Andei no terraço porque este ano vou finalmente (nunca esta palavra foi tão bem utilizada) começar a colocar terra — e decidi que vai ser da que produzo, ou seja, o composto e terriço de folhas, ao que misturarei perlite. Preparei uma pequena parte para colocar geotextil e arranquei um balde de ervas e é um mistério de que vivem estas plantas. Eu não as levei para lá de certeza, só têm gravilha. E mais, também há minhocas. Sairam de onde as minhocas? Subiram a escada — que para elas deve ser como para nós daqui ao céu. Não percebo, a natureza é uma coisa inexplicável e maravilhosa.
Como já referi, os bolbos (em geral) com vários anos são uma miséria de floração. Este ano, os dos vasos vão todos para o composto e para o ano, se quiser, vou ter que comprar todos novos.