Vasos
Tenho tentado reduzir a quantidade de vasos com plantas, porque no Verão dão um trabalhão.

Não tenho escrito porque poucas novidades há. Concluí que sou um péssimo hortelão de Inverno… Por algum motivo, pouco faço e mesmo as tarefas básicas de arrumação e manutenção, estão permanentemente atrasadas e adiadas.
Do jardim, praticamente desisti. Não totalmente — desisti de o manter num determinado nível que eu acho que seria desejável. Enquanto os meus cães por cá andarem não vale a pena. Deixei de tapar as covas imediatamente, a menos que a terra invada o pátio e no geral, está tudo bem fraco se olharmos com olhos de ver. É irritante, mas é o que é.
Tenho canteiros que já plantei cinco vezes, ou seja, quase todos os anos. Deixei de ir aos hortos e o que vou fazendo é com a “prata da casa”, porque francamente, é deitar dinheiro fora. Reproduzo algumas plantas e aproveito as que nascem espontaneamente (uma quantidade surpreendentemente grande).
Como me contradigo sempre, estou a planear semear uma série de anuais a ver no que dá. Tentativas de outros anos, acho que deram caracóis e lesmas, porque os cães já era pouco. De qualquer modo, uma única planta no horto dá para comprar 10 ou 20 pacotes de sementes que resultam em centenas de plantas, é completamente diferente — até há um livrinho muito interessante de James Fenton chamado “A Garden from a Hundred Packets of Seed” que aplica essa filosofia de jardinagem a partir das sementes.