Etiqueta: magnolia sieboldii

Nenúfar, Libelinha

Avariou a bomba do poço e como um mal nunca vem só, descobri que não tenho um passador que me permita ter água da companhia no exterior. É anedótico. Primeiro, não há nada feito para durar tudo tem uma aterradora falta de qualidade; segundo, durante as obras foi desgastante a minha tentativa para não falhar nada, mas não consigo lembrar-me de tudo, deixar este tipo de decisões a quem projecta e a quem executa — gente que se está nas tintas —, é para rir mesmo. Portanto, agora que veio o calor estou sem água no jardim e no quintal.
Mas está tudo bonito. Podei a Magnolia stellata ‘Royal star’ (podo sempre pouco, é só para controlar no caminho). A Magnolia sieboldii mostra a sua primeira flor, mas mal veio o Sol mais forte, já mostra também as primeiras folhas queimadas. Também vi a primeira Libelinha no lago.

Previsivelmente no Jardim Branco, plantei os três Viburnum opulus ‘Roseum’ e três Sutera cordata perto da Magnolia stellata ‘Royal star’ (que está verdadeiramente magnífica). Depois plantei a nova Clematis ‘Madame Le Coultre’ que vou passar a chamar ‘Madame Boisselot’, exactamente no mesmo local onde não tive sucesso com a primeira. Usei imenso composto em todas as plantas.
Por falar em Magnólia… a Magnolia sieboldii já mostrou as suas habituais duas flores… tanto esta como a Magnolia wilsonii ainda não “agarraram”.

Quintal

Hoje além de arrancar ervas (é um trabalho que nunca está pronto), transplantei para uma linha Pimento ‘California wonder’ e Malagueta ‘De Cayenne’ (uma linha é um completo exagero, mas agora está).
A Magnolia sieboldii começou a florir aquilo que me parece ser uma de um total de duas flores. A Magnolia wilsonii aparentemente nem vai florir. Para o ano será melhor.

Plantei o último Teixo das sebes. Em frente à porta lateral uma Protea cynaroides ‘Madiba’. Junto ao portão de entrada uma Magnolia sieboldii. Demorei imenso tempo porque a terra está dura e pesada, e todas estas plantas estavam em vasos muito grandes o que me obrigou a fazer covas enormes. Já para não falar no que é pegar nos vasos, super-pesados e com a terra toda molhada, ainda mais.

Dia de imensas joaninhas. As flores da Magnolia sieboldii rapidamente ficam estragadas.