Etiqueta: eremurus

Pixel e Sparky
Pixel e Sparky.

Esta semana andou tudo bem mais animado. Consegui estar no jardim pelo menos duas horas por dia e a diferença já é visível. É crucial continuar.
Podei praticamente tudo da época, falta o pior, as últimas roseiras (fartei-me de me picar), a Pyracantha e a Glicínia. E triturei em três dias, incluindo o que estava no monte desde que começou a chover — tudo já meio desfeito e até composto feito, com sei lá quantas minhocas. Mas consegui triturar tudo, sete ou oito balseiros Viking e o compostor completamente cheio a deitar por fora.
Hoje peneirei vários baldes de composto para misturar na terra que já estou a preparar para sementeiras. Por falar nisso, comprei uma série de sementes no Lidl, pela razão que estavam lá…

  • Beterraba ‘ Golden Eye’
  • Cebola ‘De Barletta’
  • Cebolinho ‘Staro’
  • Curgete ‘De Nice à fruit Rond’ (acho que é a ‘‘Ronda di Nisa’)
  • Ervilha ‘Kleine Rheinländerin’
  • Ervilha mangetout ‘Oregon sugar Pod’
  • Espinafre ‘Matador’
  • Feijão ‘Borlotto lingua di fuoco’
  • Girassol anão F1
  • Girassol ‘Herstschönheit
  • Tagetes patula nana ‘Orange flame’

Ando a pensar comprar umas luzes para poder germinar as coisas no interior e adiantar-me algumas semanas. Tenho notado que o frio se prolonga imenso na Primavera e as plantas demoram imenso a sair da terra.
Plantei os Eremurus e apercebo-me agora que tinha seis para o Jardim Branco e esqueci-me. Misturei tudo, paciência, se nascerem já fico satisfeito depois do fiasco anterior. Portanto, tenho seis brancos Eremurus himalaicus e oito cor-de-laranja Eremurus ‘Romance’.
No Jardim Branco transplantei vários pés de Ophiopogon japonicus. Já não compro plantas no horto há anos porque não tenho motivação, os cães estragam tudo e estou farto. Vou trabalhando com o que tenho, semeando e reproduzindo umas poucas que consigo.
De resto, arrancar ervas, agora ao ritmo de dois baldes por dia, peneirar composto, tratar dos vasos, limpar, varrer… O habitual.

No seguimento do que escrevi ontem, hoje plantei num vaso alguns Jacintos antigos que estavam fora da terra. Ao observar os Jacintos noutros vasos e alguns naturalizados, estão já a querer florir, mas todos fracos (sem força). Ou seja, não se comparam aos Jacintos comprados no próprio ano. Mesmo naturalizando-se, não têm força.
Ofereceram-me umas Tulipas ‘Happy generation’ que coloquei num vaso, duas já estava podres. Num outro vaso coloquei Nactascordum siculum que tinham chegado da Holanda há umas semanas — de 20, aproveitei três, o resto tudo podre. Dessa remessa tenho Eremurus para o jardim, espero que entretanto não apodreçam — neste caso estou à espera de melhores dias, mas vou mesmo ter de tratar do assunto.

Quintal
Os dois vasos com os Rosmarinus officinalis ‘Sissinghurst blue’. O círculo cinzento é a tampa do buraco onde queimo coisas, o “firepit”.

Comecei a plantar os bolbos e reparei que toda a tarde só pensei na Primavera, em vê-los a despontar e depois a florir. E é algo de bom na jardinagem, há um contínuo, há o tempo, também uma aprendizagem, há o trabalho do dia, mas o que o jardineiro está sempre a planear e espera ansiosamente, é o futuro.
Ao lado da porta da garagem e em frente plantei 80 Hyacinthus ‘City of Haarlem’. No canteiro estreito em frente à porta lateral, 11 Eremurus ‘Cleopatra’. Neste canteiro vou remover dois Gerânios-da-Madeira, porque não só nascem em todo o lado, como estes atrapalham bastante ao sair do carro, principalmente se chover. Mas é pena porque estão super-bonitos — ainda vou ensaiar um transplante. Também desse canteiro quero transplantar a Rudbeckia nitida ‘Herbstsonne’.
Por fim, limpei tudo que ficou sujo da fogueira de ontem e transplantei para vasos grandes dois Rosmarinus officinalis ‘Sissinghurst blue’.