Etiqueta: matricaria recutita

Compostor
Compostor 1 completamente cheio.

Hoje transplantei uma série de pés de Camomila-dos-alemães que por aqui nasce por todo o lado. E aproveitei para fazer uma fileira de 11 pés de alface que também nasceram à balda (são os mais fortes!). Arranquei mais dois baldes de ervas e esqueci-me de peneirar mais composto (também tenho uma espécie de objectivo de dois baldes por dia).
No jardim, os cães continuam a estragar diariamente, hoje foram uma série de bolbos e alfazemas. Estou mesmo farto.

Hoje cavei os canteiros dois e três, no quintal. Resolvi enterrar as ervas, espero não me arrepender. Transplantei alguma Camomila, Salsa e Esporas (Consolida ajacis (L.) Schur) que nasce espontaneamente. Talvez semeie a batata esta semana antes de chover.
E não tive tempo para mais.

Ervas Daninhas

Erva daninha
Ervas daninhas que germinaram sem terra e desenvolveram o sistema radicular debaixo de uma lageta, incluindo um Geranium dissectum.

Uma erva daninha não é apenas uma planta fora do seu lugar, como diz a sabedoria popular britânica. Era bom. Uma erva daninha é habitualmente uma planta extremamente vigorosa que cresce em qualquer lugar. Nos jardins, o que parece é que todas essas plantas silvestres medram facilmente enquanto aquelas que plantamos cuidadosamente definham e morrem, mas também não é bem assim. Em condições naturais apenas uma ínfima parte das sementes chegam a germinar e a maioria das plantas produz copiosas quantidades de sementes apenas para assegurar o futuro. No jardim, essas plantas encontram muito pouca competição, também não há herbívoros, portanto acabam por tomar conta de tudo em pouco tempo.
O que cultivamos falha frequentemente porque as sementes são pobres, porque o clima não é adequado e gostamos de ter as nossas exóticas, ou porque chegam de um sistema super-protegido com estufas aquecidas, rega programada e um cocktail de fertilizantes à medida. As ervas daninhas não têm nenhum desses problemas.
Algo em que vale a pena investir tempo é no estudo da botânica das ervas daninhas, pelo menos para saber quais são as anuais e as perenes. As anuais, removidas ou enterradas, não voltam nesse ano; as perenes muitas vezes exigem que se remova até ao último bocadinho de raiz, senão voltam a crescer vigorosas. Nesse sentido enterrá-las será uma péssima ideia.
Também há a questão de gosto e controle. Aqui o Geranium dissectum é uma autêntica daninha, os Gerânios-da-madeira, Geranium maderense nascem em todo o lado, a Camomila-dos-alemães, Matricaria recutita, idem. Gostava de ter alguns Dente-de-leão, Taraxacum officinale, que mal podem fazer? São bonitos e comestíveis.

Esporas
Esporas, Consolida ajacis (L.) Schur (Ranunculaceae) e Camomila-dos-alemães.

Entretanto no quintal…