Etiqueta: salsa

Em dois vasos enormes à entrada do quintal semeei Salsa. Arranquei mais ervas.

Hoje cavei os canteiros dois e três, no quintal. Resolvi enterrar as ervas, espero não me arrepender. Transplantei alguma Camomila, Salsa e Esporas (Consolida ajacis (L.) Schur) que nasce espontaneamente. Talvez semeie a batata esta semana antes de chover.
E não tive tempo para mais.

Alecrim, Rosmarinus officinalis ‘Sissinghurst Blue’
Alecrim, Rosmarinus officinalis ‘Sissinghurst Blue’.

Alecrim, Rosmarinus officinalis ‘Sissinghurst Blue’

Continuei a limpeza e arrumação junto dos compostores, além de varrer o pátio e lavar vasos. Também arrumei parte do balcão de envasar… é como arrumar a secretária antes de começar a trabalhar, tipicamente já tarde. Mas está como eu gosto, ou seja, melhor que o que estava.
Transplantei dois Ginkgo biloba para vasos maiores. Também transplantei uma Salvia officinalis ‘Purpurea’ de um vaso, para outro. O único Alecrim, Rosmarinus officinalis ‘Sissinghurst Blue’ que sobreviveu dos cortes de Agosto do ano passado está super lindo e coloquei num dos vasos mais bonitos que por aqui andam.
Podei mais uma vez o Acer palmatum ‘Sango-kaku’, apenas uns ramos que nascem no topo sem grande sentido (ainda não acabei). Também o Cercidiphylum japonicum — tentei subir um pouco a copa, o que, quando é inevitável, prefiro enquanto as árvores são jovens, porque as cicatrizes desaparecem com os anos.
Entretanto, a Salsa que semeei há pouco foi devorada. Nem percebi quais foram os culpados, habitualmente são umas pequenas lagartas de borboleta (pequenas no início, depois de uma planta inteira, ficam grandes. Não há nada como a realidade, não vá instalar-se algum sentimento positivo.

Recolhi sementes de alface, cebolinho, alho-francês, salsa e Alcea rosea ‘Nigra’. Este ano foi um desastre, mas o jardineiro pensa sempre para a frente, nunca para trás.

Quintal. Pixel e Sparky.
Na cadeira do Quintal ao fim da tarde.

Hoje semeei dezenas de coisas, depois terei de fazer a lista.
Directamente nos canteiro, uma linha de Beta vulgaris que traduzido à letra do inglês será Espinafre-perpétuo, mas em português Acelga-brava (e aqui a acelga não é particularmente apreciada…).
Debaixo da Macieira ‘Jonagored’, à esquerda Aipo, Apium graveolens e à direita Salsa, Petroselinum crispum ‘Mooskrause’.
Depois peneirei dois baldes de composto e arrumei vasos.